O Medo de mergulhar no desconhecido!


  
  "Coragem! Quanta coragem...". Quantos de nós já disparamos essa frase para alguém que nos contou um testemunho pessoal e falou basicamente sobre ter deixado tudo, trocado a estabilidade pela instabilidade, a zona de conforto pelo campo missionário, a cama aconchegante por uma beliche bem usada, o certo pelo incerto, o que ama pelo que precisa amar, os seus sonhos por um desafio, sua vida pela vida de Jesus em você, seu controle pelo Reino de Deus.Quantos? Quantos de nós já ouvimos a respeito de nossas histórias em missões, depois de horas conversando sobre ter aceitado o chamado apesar de ter todos os motivos pra dizer, não! Quantos?

  Coragem. Consideramos corajosas pessoas sem medo - aparentemente sem medo. Todo mundo que não sabe o que vai encontrar pela frente tem medo. Medo de,de repente, ter feito a escolha errada, medo de ter cedido a uma fantasia, medo de estar fugindo, medo de ter ouvido sua própria voz e não a de Deus, medo do famoso e gigante "DESCONHECIDO".

   Quando Paulo viu um monumento dedicado ao Deus desconhecido, ele deve ter pensado: "Essa é minha oportunidade de falar do Deus que tenho conhecido, eu vou lá!". Paulo apresentou Deus a partir do desconhecido.Para isso, alguns anos antes, ele caiu do cavalo e encontrou Aquele a quem perseguia sem conhecer.Foi preciso que ele tivesse ousadia para matar, para dizimar da terra aqueles que insistiam propagar o nome de Jesus.O ódio que Paulo tinha pelo Cristo que não conhecia se transformou em um amor incondicional pelo Cristo que conheceu, pelo Jesus que prosseguiu em conhecer. Ele teve coragem de mergulhar no desconhecido e não se arrependeu.
    O medo está muito relacionado a perder o controle, a fugir dos padrões e regras tão conhecidas por nós.O medo do novo - se é novo não conheço. Deus sempre diz: "Não temas", mas insistimos tanto em sermos parados por experiências dos outros, por influências, por aceitar e se conformar com o que vemos! O medo é instintivo, mas não é maior do que a minha escolha de transpor o invisível.
    Ouvir Deus é de fato um passo rumo ao desconhecido - para então conhecê-lo.Será que Deus não conhece o desconhecido? Será que Deus mora no desconhecido? Será que Deus vai me segurar? Será que Deus realmente me chamaria para viver sem as minhas rédeas?
     Deus é muito organizado - mesmo quando não entendemos absolutamente nada do que Ele está fazendo - mas Deus nunca perde o controle. O mesmo Deus que é organizado, é educado. Ele propõe. Faz uma proposta e diz: Eu te chamei não pra te enviar, mas para ir com você - se você quiser ir comigo.
     O desconhecido que Deus conhece é surpreendente, desafiador, inusitado, real e ninguém se arrepende de conhecer. Jesus pode repreender até o medo, mas Ele não faz isso. Ele nos ensina a escolher, a ouvi-lo em meio à tempestade, a olhar para Ele mesmo quando pensamos que Ele não sabe como dói fazer escolhas - e escolhas não comuns – ou como é difícil escolher, mesmo com medo, o desconhecido.Às vezes subjugamos tanto a Jesus!
    Coragem é o que desejo. Não para dizermos amém sempre que ouvirmos alguém que escolheu a porta negra, mas para ser um ato, apesar do medo, de ir e conhecer o desconhecido.


 Por:  Ticila Alves





Previous
Next Post »
0 comentários